BNDES pede que JBS convoque assembleia para avaliar ações de responsabilidade sobre atos ilícitos

SÃO PAULO (Reuters) – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social está pedindo a outros acionistas da JBS que apoiem ​​a instauração uma ação de responsabilidade contra executivos e acionistas controladores do frigorífico por perdas que eles potencialmente causaram à empresa, de acordo com fato relevante da companhia na quarta-feira.

O BNDES, que detém 21,32% do capital do frigorífico, pediu em 21 de setembro à companhia que convoque uma assembleia de acionistas para discutir o assunto.

 

O banco afirmou em carta enviada à JBS que pretende discutir na assembleia acordos de delação e leniência firmados pelo acionista controlador da J&F Investimentos em 2017, nos quais os seus fundadores Joesley e Wesley Batista admitiram pagamento de vantagens ilegais a agentes públicos, lavagem de dinheiro por meio da emissão de notas fiscais frias e doações ilegais a campanhas eleitorais utilizando-se recursos da companhia.

O BNDES disse que o acordo judicial revelou irregularidades que causaram prejuízos à JBS. Em 6 de setembro, a JBS informou em fato relevante que fazia parte do acordo de leniência firmado pela J&F.

Agora, o BNDES disse que planeja discutir com os acionistas da JBS uma possível ação legal para que os executivos e acionistas controladores do frigorífico assumam a responsabilidade pelos prejuízos.

Procurados pela Reuters, a J&F e representantes dos irmãos Batista não comentaram de imediato.

Print Friendly, PDF & Email
error: