EUA: J&F Investimentos SA se declara culpada e concorda em pagar mais de $ 256 milhões em multas criminais para resolver o caso de suborno estrangeiro

Hoje cedo, em um tribunal federal de Brooklyn, a J&F Investimentos SA (J&F), uma holding de conglomerado global com sede no Brasil e principalmente envolvida nos negócios de carnes e agricultura, se declarou culpada de conspirar para violar a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) e concordou para pagar uma multa criminal de mais de $ 256 milhões. As acusações surgiram de um esquema da J&F, por meio de alguns de seus funcionários e agentes, para pagar milhões de dólares em subornos a funcionários do governo brasileiro por meio, entre outros meios, de contas bancárias com sede em Nova York. Os procedimentos de hoje aconteceram por meio de videoconferência perante a juíza distrital dos Estados Unidos Margo K. Brodie.

Seth D. DuCharme, Procurador em exercício dos Estados Unidos para o Distrito Leste de Nova York, Brian C. Rabbitt, Procurador Geral Adjunto da Divisão Criminal do Departamento de Justiça, e James A. Dawson, Agente Especial Encarregado do Federal Bureau of Investigation , Washington Field Office (FBI), anunciou as acusações e a confissão de culpa.

“A resolução e confissão de culpa de hoje, incluindo uma multa de $ 256 milhões, demonstra o total compromisso de nosso escritório em responsabilizar as entidades que buscam obter uma vantagem indevida sobre os concorrentes subornando funcionários estrangeiros e usando o sistema financeiro dos Estados Unidos para realizar os crimes”, afirmou Procurador em exercício dos Estados Unidos DuCharme. “Proteger a integridade do sistema financeiro é uma prioridade central do Departamento de Justiça.”

“Com a confissão de culpa de hoje, a J&F admitiu estar envolvida em um antigo padrão de pagamento de subornos a funcionários corruptos no Brasil para obter financiamento e outros benefícios”, afirmou o procurador-geral adjunto Rabbitt. “A conduta corrupta de J&F envolveu executivos dos mais altos escalões da empresa, usando bancos e imóveis de Nova York para realizar um esquema para pagar milhões de dólares em subornos a funcionários do governo no Brasil. A resolução de hoje demonstra o compromisso contínuo do departamento em combater a corrupção internacional e responsabilizar as empresas por violações da FCPA. ”

“Não importa onde ocorra, o FBI e nossos parceiros globais estão empenhados em erradicar de forma diligente a corrupção que trai a confiança do público e ameaça uma economia justa”, afirmou o agente especial encarregado do FBI Dawson. “O apelo de hoje demonstra o compromisso do FBI em combater a corrupção estrangeira que atinge os EUA, e as ações de hoje enviam uma forte mensagem de que não cederemos em nossos esforços para cumprir a lei e responsabilizar todos por jogar pelas mesmas regras justas.”

De acordo com a Declaração de Fatos estipulada pela J&F em conexão com sua confissão de culpa e outros documentos judiciais, entre aproximadamente 2005 e 2017, a J&F, por meio de alguns de seus funcionários e agentes, pagou milhões de dólares em subornos e para o benefício de , Funcionários do governo brasileiro a fim de obter financiamento de dois bancos estatais e controlados pelo estado brasileiro e para obter a aprovação para a fusão de um fundo de pensão estatal e estatal brasileiro. Para promover o esquema, a J&F usou contas bancárias sediadas em Nova York em nome de empresas de fachada para fazer centenas de milhões de dólares em pagamentos corruptos em benefício de funcionários brasileiros.

https://www.justice.gov/usao-edny/pr/jf-investimentos-sa-pleads-guilty-and-agrees-pay-more-256-million-criminal-fines 1/3

14/10/2020 J&F Investimentos SA se declara culpada e concorda em pagar mais de US $ 256 milhões em multas criminais para resolver caso de suborno estrangeiro.

Especificamente, entre aproximadamente 2005 e 2014, usando contas bancárias sediadas em Nova York, a J&F causou mais de US $ 148 milhões em pagamentos corruptos em benefício de um ex-executivo de alto escalão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), um banco estatal brasileiro. Os pagamentos de propina foram feitos em benefício do ex-executivo do BNDES, que mais tarde durante o esquema de suborno serviu como um alto funcionário do poder executivo do governo brasileiro, com o objetivo de garantir que o BNDES participasse de determinados financiamentos e participações transações com entidades relacionadas à J&F.

Além disso, entre aproximadamente 2011 e 2017, a J&F fez com que aproximadamente $ 4,6 milhões em pagamentos corruptos fossem feitos e itens de valor a serem transferidos, para o benefício de um alto executivo da Petrobras de Seguridade Social (Petros), um estado brasileiro próprio fundo de pensão. Os subornos foram pagos por meio, entre outras coisas, da compra de um apartamento em Nova York para o alto executivo da Petros. Os pagamentos de suborno foram feitos para garantir que a Petros aprovasse uma fusão envolvendo uma entidade relacionada à J&F.

Finalmente, entre 2011 e 2014, a J&F fez com que aproximadamente US $ 25 milhões em pagamentos corruptos fossem feitos em benefício de um ex-alto funcionário do Poder Legislativo do governo brasileiro. Os subornos foram pagos com o objetivo de garantir que a Caixa Econômica Federal, um banco estatal brasileiro, celebrasse certas transações com entidades relacionadas à J&F.

O governo chegou a esta resolução com a J&F com base em uma série de fatores, incluindo a falha da J&F em divulgar voluntariamente a conduta ao governo e a natureza, seriedade e abrangência do delito, que incluiu executivos nos níveis mais altos da empresa e o pagamento de milhões de dólares em subornos a funcionários públicos de alto nível no Brasil ao longo de vários anos. A penalidade monetária criminal para a J&F reflete uma redução de 10 por cento no limite inferior da faixa de multa das Diretrizes de Penas dos EUA, porque a J&F recebeu crédito parcial por sua reparação e cooperação com a investigação do governo.

Em uma questão relacionada com a Securities and Exchange Commission (SEC) dos Estados Unidos anunciada hoje, uma subsidiária da J&F de propriedade majoritária, JBS S.A., concordou em pagar à SEC os juros de devolução e pré-julgamento totalizando aproximadamente $ 26.866.565.

A J&F firmou anteriormente uma resolução com o Ministério Público Federal (Ministério Público Federal) no Brasil relativa à mesma conduta descrita na Declaração de Fatos. Os Estados Unidos creditarão aproximadamente US $ 128 milhões da multa que a J&F paga às autoridades brasileiras para o pagamento da multa criminal neste caso.

A investigação está sendo conduzida pela Unidade de Corrupção Internacional do FBI em Washington, D.C. O caso do governo está sendo tratado pela Seção de Fraude de Negócios e Valores Mobiliários do Escritório e pela Seção de Fraude da Divisão Criminal. O procurador assistente dos Estados Unidos, David Gopstein, do Distrito Leste de Nova York, e os advogados da Seção de Fraudes, Michael Culhane Harper e Joseph S. McFarlane, estão processando o caso.

O governo do Brasil prestou assistência significativa neste assunto, assim como o Escritório de Assuntos Internacionais da Divisão Criminal.

Print Friendly, PDF & Email
error: