Há menos de três semanas da eleição, Baleia Rossi é citado em delação da JBS

O deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) é citado como favorecido em pelo menos duas investigações judiciais. Um dos nomes cotados para assumir à presidência da Câmara dos Deputados, o parlamentar teve seu nome apontado como se ele tivesse indicado funcionários para empreiteira Atmosphera em troca de favorecimento em licitações, além da suspeita de receber doações ilegais da JBS.

O nome de Baleia Rossi aparece em delações premiadas em investigações do Ministério Público em Ribeirão Preto, no interior paulista. O empresário Marcelo Plastino ligado à Armosphera teve seu celular e computadores apreendidos nos quais foi possível identificar doações feitas ao parlamentar.

Além disso, os investigadores encontraram documentos que apontam até R$ 760 mil em doações para o candidato à presidência da Câmara. O caso que envolve o parlamentar foi enviado à Procuradoria Geral da República, que por sua vez instaurou um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).

A operação

Batizada de Sevandija, a operação foi deflagrada em 2016 e prendeu a ex-prefeita de Ribeirão Preto Darcy Vera e então vereadores do município. Além dos políticos, também foram presos diretores de autarquias e o empresário Marcelo Plastino.

Baleia Rossi entra na investigação após ser citado por Joesley Batista, do grupo JBS, por supostamente ter recebido doações para campanha eleitoral de 2010 para deputada estadual.

Os repasses, conforme dito por Joesley, eram encaminhados pela empresa de comunicação do irmão de Baleia, Paulo Luciano Rossi.

O deputado nega as acusações e afirma que não recebeu doações do empresário Joesley Batista.

Print Friendly, PDF & Email
error: