JBS deu procuração retroativa a Wassef

O Antagonista

Depois que Crusoé revelou, em setembro, que a JBS pagou R$ 9 milhões a Frederick Wassef, entre 2015 e 2019, o advogado ligado a Jair Bolsonaro recebeu de Francisco de Assis e Silva, diretor jurídico da J&F, uma procuração com efeito retroativo a maio de 2019.

A informação é de Lauro Jardim. A procuração autorizaria Fred a representar o grupo no processo que investiga grampos e extorsão na briga societária entre a JBS e a asiática Paper Excellence

Até então, a defesa era feita por Ana Flávia Rigamonte, sócia de Wassef que deu assistência a Fabrício Queiroz durante sua estadia no sítio do advogado, em Atibaia (SP).

Print Friendly, PDF & Email
error: