JBS pagou US$ 11 milhões em resgate a autores de ataque ransomware

 

Exame

A empresa foi alvo de ataque de hackers no final de maio e confirmou o pagamento do resgate ao jornal The Wall Street Journal
Por Thiago Lavado

O frigorífico JBS confirmou ao The Wall Street Journal nesta quarta-feira, 9, que pagou 11 milhões de dólares aos hackers que atacaram os sistemas da empresa no Estados Unidos e na Austrália no final de maio.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor
O pagamento foi feito em bitcoin e, de acordo com a empresa, foi realizado para proteger as plantas do frigorífico de novas interrupções e limitar o impacto a restaurantes, lojas e fazendeiros que dependem da companhia, afirmou ao jornal André Nogueira, diretor da divisão americana da JBS.

“Foi muito doloroso pagar aos criminosos, mas fizemos o que era correto para os nossos consumidores”, afirmou, reiterando que a empresa só pagou a quantia depois que os sistemas foram restabelecidos nas plantas da empresa.

Veja também

EXAME Agro
Hackers russos estariam por trás de ataque contra a JBS, dizem fontes
4 jun 2021 – 11h06
Ataques de Ransomware são um tipo de atividade criminosa digital que “sequestra” os sistemas e redes de computadores de um usuário ou de uma empresa, tornando-os inutilizáveis. Os bandidos então pedem uma transferência financeira pela liberação das máquinas (daí o nome ransom, que em inglês significa a quantia paga para libertar alguém de um cativeiro).

Muitos especialistas não recomendam pagar por esses ataques, pois não há garantias de que os computadores serão liberados. Apesar disso, esse tipo de atividade criminal tem se tornado cada vez mais comum, com bandidos mirando vítimas com apólices de seguro cibernético e enormes volumes de dados confidenciais de consumidores que os tornam mais propensos a pagar um resgate.

 

EXAME Agro
China pode ser a mais afetada por parada da JBS após ataque cibernético
2 jun 2021 – 11h06
Uma reportagem da revista Bloomberg, que ouviu quatro pessoas com familiaridade do assunto, afirmou na última semana que quem estaria por trás do ataque seria o grupo russo que atende pelo nome de REvil ou Sodinokibi.

No início deste ano, o REvil assumiu a autoria do ataque cibernético contra a fornecedora de hardware taiwanesa Quanta Computer e, no processo, publicou projetos secretos de novos dispositivos da Apple. No ano passado, o REvil executou um ataque de ransomware contra um escritório de advocacia que teria representado alguns projetos de TV de Donald Trump.

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email
error: