O Poder da JBS na imprensa: Guilherme Amado, de Época, é o Chacrinha da luta: escreve para confundir

O Poder da JBS na imprensa
Em seu livro Why Not, a jornalista Raquel Landim detalha muito bem como Joesley Batista comprava toda a grande imprensa brasileira. Na maioria das vezes para não publicar fatos negativos e sim fatos positivos sobre os irmãos Batista e a JBS.
Esse poder continua muito forte, pois o investimento das empresas da JBS através do Banco Original, Seara, Friboi, e a própria JBS continua alto.
Com isso, a JBS tem um poder muito forte de plantar notinhas contra os seus inimigos. Hoje, por exemplo, o jornalista Guilherme Amado publicou uma notinha que a Paper Excellence, que tem uma disputa com a J&F pelo controle da Eldorado, teria uma dívida de U$ 64 milhões no Canadá.
Que relevância jornalistica tem essa matéria? A Paper Excellence colocou R$ 15 bilhões no Brasil para comprar a Eldorado. Desses R$ 15 bilhões, cerca de R$ 11 bilhões estão depositados no Itaú esperando a sentença do Tribunal. O que representa esses U$ 64 milhões para quem tem R$ 15 bilhões na conta?
Essa publicação aparentemente foi apenas para atender a J&F em sua campanha difamatória contra a empresa canadense. A J&F continua operando a imprensa que está disposta a prestar serviço aos irmãos criminosos.
Print Friendly, PDF & Email
error: