PF indicia Gilberto Kassab por ‘mesada’ de R$ 350 mil da JBS

Gilberto Kassab foi indiciado pela Polícia Federal Foto: Reprodução

A Polícia Federal concluiu o inquérito aberto na esteira da Operação Lava Jato para apurar os relatos de propinas dadas ao ex-ministro Gilberto Kassab (PSD), revelados por executivos do Grupo J&F em delações premiadas firmadas com a força-tarefa. Além do pessedista, o irmão dele, Renato Kassab, e o ex-tesoureiro do PSD nacional, Flavio Castelli Chuery, foram indiciados por corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral (“caixa dois”), lavagem de dinheiro e associação criminosa.

O relatório policial com a conclusão das investigações foi entregue à 1ª Zona Eleitoral de São Paulo nesta segunda-feira (22). De acordo com a Polícia Federal, além das informações prestadas nas colaborações premiadas, os investigadores cruzaram dados obtidos em buscas, quebras de sigilos bancário e fiscal, interceptações telefônicas e depoimentos de testemunhas.

O ponto de partida da investigação foi o acordo de delação premiada do empresário Wesley Batista. Ele afirmou que Kassab recebeu uma mesada de R$ 350 mil da empresa entre 2010 e 2016, totalizando R$ 30 milhões, “em troca de eventual influência política futura em demandas de interesse da JBS”. Já o executivo Ricardo Saud disse que a empresa repassou outros R$ 28 milhões ao PSD, partido fundado por Kassab, pela suposta compra de apoio político acertada com o PT.

Print Friendly, PDF & Email
error: